Encontre o seu veículo:

Essa imagem do site FlatOut (abaixo) mostra o motor de um Audi TT que rodou mais de 130.000 km sem fazer a troca de óleo. Prejuízo a vista. O que levou o motor a ficar desse jeito é o demasiado uso do mesmo fluido. Com o tempo de uso, o óleo perde suas principais propriedades e assim, a lubrificação. O que aconteceu na imagem, é que o óleo estava muito sujo e espesso e esse acúmulo de sujeira por sua vez travou o motor.

 

Fonte: Flatout

Que a troca de óleo feita regularmente é fundamental para a manutenção do seu carro você já sabe. Separamos algumas dicas importantes que podem te ajudar com alguns detalhes importantes para fazer a troca corretamente:

Quando devo trocar o óleo?

O ideal é sempre seguir as orientações do manual do proprietário. Se as manutenções estiverem em dia, basta seguir as orientações daquele adesivo em seu vidro com a quilometragem exata para a próxima troca.

O uso do carro pode influenciar na hora da troca?

Sempre. Desde de um carro que é bastante utilizado até um carro “de garagem” sofrem variações de qual o melhor momento para a troca. O recomendado é sempre verificar a viscosidade do óleo e manter as revisões em dia.

E o filtro?

Fique atento ao período de troca do filtro. Realizar a troca do lubrificante e manter o filtro antigo pode prejudicar o motor e contaminar o óleo novo com impurezas do óleo antigo.

Posso completar o óleo do carro?

Sim, o uso constante pode reduzir o nível de óleo. Você pode completá-lo desde que use um lubrificante com a mesma especificação do que está no motor.

Qual tipo de óleo utilizar?

São basicamente 3 opções: Óleo mineral, Sintético e Semissintético
Basta você verificar qual a recomendação no manual do proprietário do seu carro. É fundamental que você utilize o tipo correto de óleo.

Fique atento aos sinais que seu carro te dá e #PenseSmart. Manutenção em dia é o melhor jeito de proteger seu patrimônio.

Veja outros assuntos interessantes